Eficiência Energética para Indústrias

Segundo a Confederação Nacional da Indústria (CNI), o setor industrial é responsável pelo consumo de 41% da energia elétrica do Brasil, distribuído por cerca de 537 mil unidades fabris em funcionamento no país. Isso ilustra a importância da preocupação com a eficiência energética nas indústrias.

Desperdício da energia em números

Segundo o Programa Nacional de Conservação de Energia Elétrica (Procel), ao considerar as indústrias, residências e comércio, o desperdício de energia chega a 22 milhões de kW, o que representa cerca de US$ 1,54 bilhões por ano.

À medida que o consumo de energia elétrica aumenta, um maior suprimento de energia nas atividades deve ser considerado. Para isso, investimentos em geração, distribuição e transmissão devem ser realizados, de forma que a demanda industrial seja atendida com confiabilidade. Por isso, a implantação e incentivos à programas e projetos de uso eficiente da energia devem ser estimulados pelo país, uma vez que os desafios no setor energético crescem constantemente no país.

Esforços locais

De acordo com uma pesquisa realizada pela CNI com 2876 empresas, em 2015, 52% tomaram medidas contra o aumento da tarifa da energia elétrica, de forma que 7 entre 10 firmas adotaram a eficiência energética como alternativa para redução dos efeitos do acréscimo na conta.

O Brasil no mundo

Segundo um estudo realizado pelo Conselho Americano por uma Economia com mais Eficiência Energética (ACEEE, na sigla em inglês), o Brasil está em 15º lugar entre as dezesseis maiores economias do mundo. No ranking, que tem a Alemanha como 1ª colocada, o pior desempenho brasileiro foi o da indústria, recebendo apenas 2 dentre os 25 pontos possíveis.

Soluções Simples

A simples medição dos gastos com energia é o primeiro passo para a conscientização e tomada de ações para aumentar a eficiência do consumo de energia. A partir daí, pode-se economizar em quase todas as situações. Desde projetos de iluminação eficiente; isolamento de dutos; instalações elétricas, motores, bombas, etc.

Uma solução de extrema simplicidade e baixo custo é a conservação de temperatura em banhos galvânicos, anodização, cromeação ou niquelação, processos de tintura de tecidos, estocagem de líquidos voláteis, processos de pré-pintura, clarificadores e banhos maria, em que o emprego de esferas inertes para a cobertura de superfície pode gerar uma economia de até 30% no consumo de energia, sem prejuízo da operação e com grande durabilidade da cobertura.

Vale a pena conhecer o método. Entre em contato conosco!

Fonte: Fluxo Consultoria – UFRJ

Uma resposta para “Eficiência Energética para Indústrias”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezessete − 14 =